Seguidores

segunda-feira, dezembro 01, 2014

Tradições de Natal

Natal se aproximando, todos em preparação com decorações, roupas, presentes mas será que conhecemos o significado de tudo que usamos nessa época, sim porque cada símbolo tem seu significado nesse tempo chamado de Tempo do Advento, que quer dizer Espera.
Vamos aprender um pouco até para aproveitar melhor esse período ?


Tradições de Natal 
Papai Noel, presentes, árvore de Natal...
cada um tem uma história pra contar

Deborah Moratori
12/2002
Do presépio ao Papai Noel, fazem parte das comemorações natalinas vários símbolos. A árvore de Natal, com sua forma triangular, representa a Santíssima Trindade, com o Deus Pai no cume. Além disso, cada um de seus enfeites tem um significado especial. A Estrela de Belém é aquela que se coloca no alto da árvore, representando o astro que guiou os três Reis Magos na noite do nascimento de Cristo. Os presentes, tão esperados pelas crianças no Natal, são distribuídos por personagens diferentes e até em dias diferentes. Cada um desses símbolos tem uma origem que guarda em si o aspecto tradicional, místico e religioso do Natal.
Cada um dos enfeites da árvore de Natal tem em si um significado.
Antes de serem substituídas por lâmpadas elétricas de cores, as velas simbolizam a purificação e sua chama se acendia como a representação de Cristo, a luz do mundo.
Os sinos falam da alegria que devemos ter durante a nossa vida, porque Cristo nasceu para ser nosso companheiro. Os sinos das igrejas nos lembram o encontro com Deus.
As habituais pinhas se utilizam como um símbolo da imortalidade. Na verdade, os arranjos secos simbolizam a humanidade árida que precisa do Cristo para nos restituir a vida nova.
Os enfeites verdes, como a guirlanda, trazem sorte e fertilidade. Nos países do Hemisfério Norte, onde a maioria dessas lendas surgiram, as comemorações natalinas acontecem em pleno inverno, o verde, dessa forma, remete à primavera e à celebração ao sol e à vida. Uma guirlanda pendurada na porta de casa também indica a presença do Menino Jesus naquele lar.
As bolas coloridas, mais tradicionais variantes das maçãs penduradas nos antigos carvalhos, surgiram na Boêmia no século XVIII e são signos que atraem de abundância. Também, por seu número e variedade de cores, simbolizam as nossas boas obras, e que permanecem escritas no livro da vida.
Finalmente, as estrelas anunciam os desígnios de Deus. Segundo conta a Bíblia, cada estrela tem um anjo que vela por ela, crença que suporta a antiga idéia de que cada uma delas é em si mesma um anjo. A que se põe no alto da árvore de Natal refere-se à Estrela de Belém.
Muitas são as teorias que tentam explicar o surgimento desta estrela. Entre elas, está a de que se tratava do brilhante planeta Vênus, da passagem dos cometas Halley ou Hale-Bopp, de uma supernova, uma ocultação da lua.
Uma das hipóteses mais aceitas foi a que propôs, em 1606, Johannes Kleper. Segundo o astrônomo, o fenômeno ocorreu devido a uma rara tripla conjugação da Terra com os planetas Júpiter e Saturno, passando pelo sol nesse momento por Peixes. Esta conjugação apresenta-se aos olhos do observador terrestre como uma só estrela muito brilhante.
Outra hipótese mais recente é a de que se tratava de uma nova estrela brilhante observada próxima da estrela Theta Aquilae. Acredita-se também na ocorrência de uma enorme explosão estrelar, resultando numa grande luminosidade que permaneceu no céu por inúmeros dias, como indicam documentos astronômicos do ano 5 a.C.
Como é provável que Jesus tenha nascido entre os anos 8 e 4 antes da chamada Era Cristã, o acontecimento pode ter dado origem à lenda da Estrela de Belém que guiou os três Reis Magos até o local do nascimento de Jesus.
Estrela de Belém é relembrada situando-a tanto na representação do presépio como na ponta daárvore de Natal e é símbolo de Cristo como Luz do Mundo. "Eu sou a luz do mundo; quem me segue, não andará nas trevas". (Jô 8,12).
Os presentes se converteram, com o tempo, no aspecto mais popular do Natal, transcendendo seu sentimento religioso.
Conforme os países, os presentes, sobretudo para as crianças, podem ser entregues pelos Reis Magos (Espanha ou México), por Papai Noel (países anglo-saxãos e parte da América Latina, como a Argentina) ou inclusive pelo próprio Menino Jesus (Colômbia, Costa Rica, Venezuela ou Panamá).
No Peru, reza-se uma pequena oração para o Menino Jesus antes de abrir os presentes e da ceia. Na Colômbia, as crianças recebem presentes de seus padrinhos em 6 de janeiro. NoEquador, as oferendas são abertas depois da ceia de Natal. Em El Salvador, a abertura é depois da manhã de Natal. Na Argentina e no Brasil, os presentes são colocados ao pé da árvore de Natal às 12 em ponto da noite de Natal.
O mito do Papai Noel surgiu da história de São Nicolau que nasceu no século III em Patras (Grécia), no seio de uma família rica. Com a morte dos pais, ele entregou a outras pessoas todos os seus bens e optou pela vida religiosa.
A fama de generosidade com as crianças transcendeu sua região, atribuindo-lhe todo tipo de milagres e lendas. O mito converteu-lhe o título de santo.
A figura de São Nicolau difundida pelos holandeses a partir do século XIII era representada com barba branca e ornamentos eclesiásticos, montado em um burro e carregando um saco de presentes para as crianças boas e um feixe de varas para os maus.
Durante a colonização da América do Norte, a tradição de São Nicolau se estendeu pelo país adquirindo uma enorme popularidade.
Os verdadeiros impulsores do mito de Papai Noel nos Estados Unidos foram dois escritores de Nova Iorque. O primeiro, Washington Irving, em 1809, despojou São Nicolau de sua indumentária clerical, transformando-o em uma personagem bonachona e bondosa que montava um cavalo voador e jogava presentes pelas chaminés.
Clement C. Moore, 14 anos depois, trocou o cavalo branco por renas que puxavam um trenó, os tamancos que deixavam as crianças holandesas por meias, convertendo-o numa personagem alegre, gorda e de pequena estatura, como um gnomo.
Ao longo do século XIX, Santa Claus, terminologia que os americanos acabaram adotando, foi representado de diferentes formas, tamanhos, vestimentas e expressões. Em 1862, o desenhista Thomas Nast realizou a primeira ilustração de Santa Claus descendo por uma chaminé, embora ainda tivesse o tamanho de um duende.
Pouco a pouco a figura vai adquirindo estatura, barriga, mandíbula, barba e bigode branco e aparece noPólo Norte. O símbolo de Santa Claus foi logo utilizado pela publicidade.
Em 1931, a Coca-Cola encomendou ao artista Habdon Sundblom a remodelação do Santa Claus de Nast para torná-lo ainda mais próximo e verossímil. A campanha de Natal constitui um grande sucesso. Havia nascido o atual Santa Claus que no Brasil a gente chama de Papai Noel.